segunda-feira, outubro 03, 2005

Mais um dia

Não sei muito bem o que foi feito do rapaz que tocava saxofone, afugentando todos os gatos das redondezas com os suaves trinados que brotavam da sua música, não sei da senhora da padaria que pintava o cabelo de um louro berrante e despachava todos os clientes com simpatia e celeridade, não fosse o diabo piscar o olho. Não sei muito bem o que aconteceu comigo.
Sei que tudo isto aconteceu a uma Sexta. Vá lá, o meu dia da semana preferido. Sei também que não irei mais mudar assim tão facilmente, embora nada nunca permaneça bem igual.
Uma vida sem sonhos não revela a origem de pastelarias! E sem eles, sabe-se, a vida é uma tortura, um desenrolar penoso de ordem, ordens, disciplina, disciplinas e cansaço. A minha vida sem ti é o mesmo.
A minha vida sem ti foi o mesmo, sempre e sempre.

4 comentários:

polegar disse...

essa sexta-feira, em que tudo mudou, levou para longe dos teus olhos o rapaz do saxofone e a senhora da padaria. mas se esticares o nariz no ar, sentirás o cheiro dos bolos. e verás passar à tua frente um gato afugentado pelos sons longínquos do saxofone. fica em ti, seguir os seus rastos, regressar pelas pegadas dos fantasmas e deixá-los confortar-te. porque eles, sim, estão lá todos os dias. um beijo

Ventilan disse...

um abraço para ti de quem não percebeu grande coisa disto tudo mas continua a afugentar gatos - de alguna manéra

Desta Àgua Não Beberei... disse...

oi broche visita o meu blog :) já está activo

Anónimo disse...

délio que se passa? que sentimentalismo todo é este? Hum?? que é feito do blog proposta critica à critica à critica dizima infina periodica?

estilosa