quarta-feira, outubro 04, 2006

A Vazia Sandália de S.Francisco


A gratidão da macieira e a amnésia do gato
nunca pautaram o curso dos meus dias.
«Fiquem onde estão!»,
foi a minha ordem para a macieira e para o gato,
ainda bem exteriores ao meu fraco por eles.

Salvei-os (e salvei-me!) de uma fábula
cuja moral necessariamente devia ser eu, o parlante
amigo de macieiras e conhecido de gatos.

Dá um certo desconforto malbaratar assim amigos
em dois reinos da natureza.
Mas também dá liberdade.

Há uma gente que desponta do outro lado do vale.
Está a correr para cá.
São os meus semelhantes.
Com eles vou desentender-me (mais que certo!),
mas a ideia que deles faço
é ainda um laço.

Repousem em paz as macieiras e os gatos.

ALEXANDRE O´NEILL (1924 - 1986)
Poesias completas

1 comentário:

mcce disse...

Um dos meus poetas preferidos! durante algum tempo ficou na prateleira, porque passava a vida a estudar grego, mas agora que tenho mais tempo voltei a lê-lo! E há uns tempos (em Março)também tinha um poema dele no blog! Força!

Margarida Espiguinha :)