terça-feira, agosto 23, 2005

Burn Baby Burn



Portugal a arder. Mar de chamas. Inferno em Coimbra. O Pinhal de Marrocos, que explorei na minha juventude, ardeu por completo. A Coimbra verde e limpa que conheci continua a ser destruida, agora pelo fogo e sempre por políticas corruptas.
Tudo títulos bombásticos que nos fazem esquecer o real problema escondido por detrás do impacto sensacionalista inicial. Quem lucra com isto? Porque é que ninguém investiga isto? É que não julguem que somos parvos (bem, talvez um pouco...mas só porque nos apetece!): é evidente que há interesses muito obscuros, distorcidos e mefistofélicos no meio disto tudo. E nem sequer é difícil obter provas...ao que parece, elas estão por todo o lado.
Sem querer entrar numa de teoria da conspiração, não parece absurdo que todos os anos assistamos a esta novela? Não é como se este fosse um problema de agora, caramba! Para além disso, não me parece que Portugal tenha um índice de pirómanos superior à média europeia (de alcoólicos e loucos na estrada, já aceito), então...então só me resta concluir que a Natureza gosta de fazer as florestas portuguesas arder espontaneamente. Que os Portugueses gostam de mostrar a sua bravura e desespero na televisão, ao combater as chamas que estão à porta de sua casa, sem convite. Que a política da terra queimada é mais uma das tristes fatalidades a afligir este país.
Parece-me que os nossos governantes sempre procuraram a solução mais complicada enquanto a mais simples permancece dormente debaixo do nariz (que deve ser nariz muuuito grande). Em vez de se constituirem brigadas especiais de investigação aos fogos florestais, uma coisa muito americanizada, muito de filme, que tal colocar o exército que guarda os quartéis a patrulhar as matas? Porque não pôr os reclusos a limpar as matas nos períodos de defeso? Colocar os próprios pirómanos a limpar os seus trabalhinhos parece-me daquelas ironias deliciosas da vida.
Não é minha a tarefa de oferecer soluções para este problema. Não sou eu quem manda. Junto apenas a minha voz às muitas vozes indignadas. Junta-se-lhe uma pitada grande de tristeza, polvilhada com indignação. E começo a ficar, muito sinceramente, um pouco desesperado com a obtusa falta de clarividência de quem por aí anda a (des)governar o pais...
Como diz o Sérgio Godinho "desarmem a incompetência!"
Ay Caramba!

2 comentários:

Marcos Mesquita disse...

Soube ainda ontem do incêndio em Coimbra. O que dizer? Talvez que seja lamentável. Mas ainda sim é pouco pra expressar minha sensação diante da notícia... Entra ano e sai ano e o problema continua... Dá vontade de jogar na fogueira os incompetentes ... Mas como já não usamos mais estes métodos (ainda bem!), o negócio ainda é responsabilizar e cobrar dos reais responsáveis que estão gerenciando o país...

O Blog da Balta,Bá! disse...

Olá Marcos. Até eu estou surpreendido com a minha desilusão e revolta, acredita. Torce-me a alma quando ouço, na rádio, a listagem dos incêndios em Portugal. Uma tristeza.